Gerês

A grande Serra do Gerês sempre teve um grande valor, quer paisagístico, quer fotográfico. Recentemente, consegui fazer uma curta incursão a esta montanha majestosa. Visitei apenas duas cascatas, as mais acessíveis, mas certamente irei voltar para visitar as restantes. Por agora, fica o meu pequeno contributo. Se pretendem visitar alguma destas cascatas, lembrem-se: segurança em primeiro lugar. Levem sempre calçado confortável, garrafas de água, evitem mochilas com grandes volumes e recomendo fortemente usarem um monopé ou barra de apoio: vão ver que é um objecto extremamente valioso, mesmo que não tenham dificuldade na locomoção, pois apara-vos as subidas e descidas de degraus maiores que o normal. Fiz as minhas visitas com um simples monopé extensível e ainda tinha a minha câmara na outra mão, e todo o percurso foi fácil.

A minha primeira visita foi a Cascata do Tahiti. Extremamente perto da estrada, notava-se bem a presença humana ainda antes de chegar ao local. Felizmente, consegui um cantinho onde enfiar o meu carro e bastou-me percorrer alguns metros a pé e a descer para chegar à cascata. A ribeira nestas fotos está localizada antes da cascata, bastando seguir o caminho oposto ao da maioria dos turistas, pois quase ninguém se ia interessar por esta fantástica paisagem para tomar um banho (felizmente para os fotógrafos).

O meu ponto de paragem seguinte foi a Cascata do Arado. Esta cascata já apresentava uma paisagem muito mais ampla e com menos problemas de espaço para os visitantes. Felizmente, fui lá de manhã e não havia demasiadas pessoas para me estragar o cenário. A fotografia da ponte ao longe foi tirada do alto, sensivelmente no mesmo local onde captei a imagem da cascata. Logo após tirar essa fotografia da queda de água, vejo surgirem lá bem no topo, ao lado da pequena lagoa formada na rocha, dois turistas estrangeiros que se aprontavam para dar um mergulho nessa pequena lagoa. Por razões óbvias, não o recomendo. Em primeiro lugar, está a nossa segurança. E depois, poderiam estragar uma boa foto…

Por último, mas não sem a sua importância, ainda passei pelo Miradouro Pedra Pela. Com uma vista fantástica e literalmente de cortar o fôlego, com um pequeno pedestral para onde podemos subir e ficarmos ainda mais altos, num local localizado a 829m de altitude. Conta ainda com a presença de uma pequena e pitoresca casa abandonada.

Certamente, locais a visitar de novo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *