Difusores de Luz

Se já fotografaram modelos com o flash da máquina, ou com um flash montado na sapata, deverão ter reparado no aspecto alienado no rosto do modelo, dos olhos vermelhos (fácil de remover, mas chato) e, quando existe uma parede em 2º plano, aquela sombra lá atrás que raramente é bonita de se ver.

Nesta página, irei falar de algumas formas de iluminação através do uso de difusores, especialmente quando usados fora da câmara. Toda a iluminação em fotografia é incrivelmente variada e existe um sem-número de objectos para nos ajudar. Desde os tripés generalistas, às softboxes, difusores de todas as formas e feitios, sombrinhas, reflectores, beauty dishes, e muito mais que não conseguirei mencionar aqui.

Irei descrever apenas algumas das formas mais conhecidas de iluminação externa, sendo que, para todas elas, recomendo fortemente adquirirem o anel adaptador com encaixe tipo Bowens para poderem combinar no mesmo tripé, a vossa unidade de flash + o tipo de difusor à escolha, seja ele qual for.

No meu caso, uso o conjunto Godox com o flash TT685 e o transmissor X1T montado na máquina. Esta dupla de equipamento em especial não requer receptor no flash, pois estão assim configurados de fábrica. Caso eu quisesse adicionar uma 2ª unidade de flash, poderia controlar ambas com o mesmo transmissor, e até configurar intensidades diferentes para cada unidade. Outros equipamentos semelhantes poderão necessitar de um conjunto transmissor + receptor genéricos e compatíveis com as vossas câmaras e flashes.


O primeiro exemplo será o mais simples: disparar o flash fora da máquina, quer esteja montado num tripé ou assente numa mesa ou qualquer superfície. Qual a vantagem? A luz lateral permite um controlo mais preciso da iluminação, assim como uma luz com mais carácter, não se limitando a ser um foco de luz em frente ao modelo. As sombras serão realçadas, e podemos jogar com a luz e sombra para obter efeitos que não conseguiríamos de outra forma. Se estivermos a fotografar num ambiente interior, podemos ainda redireccionar o flash para o tecto ou para uma parede e ganhamos uma iluminação totalmente difusa e suave, dependendo das cores, texturas, e materiais envolventes.

Na primeira foto, o flash foi direccionado para a parede branca e reflectir um brilho extra a esta noiva-modelo. Na fotografia ao centro, o flash apontava para as paredes de madeira, e a cor reflectiu-se por todo o fotograma. Toda a imagem ficou com uma coloração mais quente. Assim como na fotografia da direita, onde o cenário era uma antiga carruagem revestida com um tecto luxuoso. O flash foi colocado acima dos modelos do lado direito, no topo de uma máquina de venda automática. O resultado é uma luz bastante harmoniosa com um simples flash, e que nunca teria ficado tão suave se mantivesse o flash na máquina.

Caso não tenham uma parede para espalhar o flash, poderão sempre usar o reflector branco que as unidades de flash costumam ter no topo. Basta puxar o difusor integrado no flash, e empurrá-lo de volta para dentro sem empurrar o reflector. Ou mantenham o difusor embutido para uma luz um pouco mais espalhada. Estes extras das unidades de flash são versões reduzidas dos grandes difusores, orientados para fotografia de eventos, como casamentos, baptizados, reuniões, onde o fotógrafo não tem a possibilidade de andar com um grande difusor ou softbox atrás por motivos práticos. Também existem pequenos difusores, reflectores e mini-softboxes que se montam no topo do flash. Muito práticas e conseguem uns efeitos interessantes, mas nunca serão tão eficazes como os homónimos de escala maior…


Agora, irei falar do tradicional difusor em forma de sombrinha. Estes difusores são baratos e fáceis de adquirir, mas têm algumas desvantagens: são muito leves e facilmente actuam como velas com pouco vento, nada recomendados para o ambiente exterior, pois fazem o tripé tombar muito facilmente. São difusores orientados para locais interiores espaçosos, onde a luz reflectida nas paredes não é suficiente, ou para exterior em dias ou locais sem vento algum (exemplo: um local abandonado). Recomendo usarem um contrapeso na base do tripé ao usarem um difusor destes para manterem o centro da gravidade o mais baixo possível. E caso precisem de colocar o tripé ligeiramente inclinado, coloquem sempre um dos pés a apontar para baixo.

Contrapeso (uma bolsa, por ex.)

Alguns difusores têm branco translúcido, outros têm uma película prateada no interior e exterior preto. Se forem brancos, poderão ser usados com a cabeça do flash direccionada para o modelo ou de costas, para que seja a sombrinha a reflectir a luz. A versão preta e prateada, apenas se usa de forma reflectora. Normalmente origina sombras um pouco mais definidas que a versão branca mais difusa mas o funcionamento é idêntico.


Outro tipo de difusor não tão conhecido, é o chamado Beauty Dish. Trata-se de um disco metálico com o interior composto por um material altamente reflector e um pequeno prato no interior que torna a luz ainda mais indirecta assim que sai do flash. O beauty dish tem ainda uma camada de tecido branco para suavizar a luz. Alguns discos têm uma peça extra: um favo metálico para direccionar e cortar o excesso de iluminação para retratos ainda mais suaves. Tal como o nome indica, este tipo de difusor é mais orientado para fotografia de retrato em interior, mas resulta extraordinariamente bem no exterior, mesmo com algum vento (desde que tomem as devidas precauções e mantenham um contrapeso na base do tripé; este tipo de difusor é mais robusto que a sombrinha).


Finalmente, temos a grande softbox. Este difusor de grandes dimensões é geralmente usado em estúdio, e tem um efeito semelhante a um difusor de sombrinha, mas numa escala maior. Por razões de escala, recomendo usarem estas softboxes apenas em tripés mais robustos, e não no tripé convencional mais fraco. Estes difusores não são pesados, pois tratam-se de um pedaço de tecido com material reflector no seu interior, mas formam uma caixa de ar muito volumosa, e são propensos a quedas com alguma facilidade.


E espero que vos tenha ajudado a esclarecer algumas questões sobre o uso de difusores e iluminação fora da câmara.
Mesmo em eventos, experimentem. Irão ver que as vossas fotografias irão melhorar bastante.